You are currently browsing the monthly archive for abril 2008.

tô hippie. e por hippie entenda estar ouvindo no repeat duas músicas. isso é o máximo de riponguice que você vai arrancar de mim (tá, e a fase cítara dos beatles).

deve ser porque revi fear and loathing in las vegas esse fim de semana. não entendo como tanta gente acha esse filme um saco. será que precisa já ter tido um brief encounter com algum tipo de droga pra achar ele simplesmente djenial? pra mim, se você já é experienced ele é divertidíssimo. se você não é, é uma ótima maneira de conhecer uma viagem de droga sem precisar tomar/beber/cheirar/injetar nada. e se você acha o filme sem sentido, creia: pointlessness is the point.

por sinal hoje morreu albert hofmann, o inventor do lsd. aos 102 anos. eu disse 102 anos, ouviram?

voltando, as duas músicas fazem parte da trilha, mas eu nem lembrava disso porque já adorava as duas faz tempo.

white rabbit, do jefferson airplane. a música que termina com um crescendo (jesus, a cena da laranja no filme), apologia às drogas em entrelinhas muito pouco discretas, passível de repeat ad eternum. não diga que não avisei.

buffalo springfield, expecting to fly. triste, triste, triste. para dias e corações chuvosos.

*

ps: vocês viram que apareceu uma sex tape de jimi hendrix? sendo ele ou não, não assistirei.

Anúncios

* tem uma moça copiando descaradamente os posts do meu blog, do de ivi e provavelmente de mais gente. não linkarei aqui, porque é isso que ela quer. nem sei se fico com raiva, porque acho uma infantilidade tão grande… mas gostaria realmente que ela parasse. para ela, fica uma dedada do miquei.

* michael haneke explicou porque refilmar funny games.

* sou tão indecisa que ainda não consegui responder ao joguinho de dani, e nem montar uma muxtape.

* o nome de blog mais legal dos últimos tempos, de um cidadão que comentou no post passado: “não consigo ir embora de mim a pé“.

* viu contaaaaardo no roda viva?

* quero esse capacho:

my blueberry nights é lindo. claro que era, não tinha como não ser. é igual mas diferente, tipo aqueles slogans. tá tudo lá (como disse cris: “comida, câmera lenta de cortar o coração, música boa, luzes de neon, radiola de ficha, cigarro, fossas, corações partidos, trens, desencontros, puesia, tem até um puliça. e um doidinho do telefone.”), mas tem algo diferente. talvez por ser em inglês, ou por não ter olhinhos puxados, ou pelos atores cinemão, mas dá um tiquinho a impressão, às vezes, de um wkw pra principiantes, mais levinho e fácil de agradar.

mas nem por isso gostei menos, não mesmo. como sempre, as histórias são tão simples mas tão verdadeiras que dá vontade de ler um livro inteiro sobre cada um dos minicontos que ele conta. e todos os personagens são tão tristes. e ele mostra isso tudo daquele mesmo jeitinho, borradinho & estourado, tão colourido e bonito, que eu podia ficar aqui elogiando a noite toda.

sem falar, né, na musiquinha de in the mood for love, de novo, em outra versão. quebrou minhas pernas.

minha frase preferida de todos os tempos da última semana.

essa semana sugeri pras meninas do oficina de estilo criarem um “esquadrão da moda” brasileiro e venderem pro gnt. ou até sbt. a mesma idéia: mulheres desesperadas com seus guarda-roupas ganharão R$ 5.000 pra gastar com o que quiserem, de maneira inteligente. eu serei a primeira, lógico.

maaas, enquanto o projeto não é aprovado na lei rouanet, inauguro hoje a seção pro-meu-cabide. é o que eu queria no meu cabide djá, mas como não vou ter, serei obrigada a despejar a frustração em vocês.

pro-meu-cabide, 10.04.08:

talheres vintage ultra fofos de magie hollingworth.

mais um pouquinho de morbidez, mas agora bem bonitinha.

daqui.

eu tenho amigos que só eu conheço, que moram longe, e com quem só falo pela internet. por isso já parei pra pensar: e se eu morrer? e se eles morrerem? mandarei e-mails que vagarão no limbo por toda a eternidade? e vice-versa? que triste.

bom, parece que resolveram esse problema.

just in case i die e post expression: dois sites para você deixar suas cartas de despedida prontinhas, recados para os queridos, xingamentos para os inimigos, e tudo que nunca conseguiu dizer enquanto vivo.

você escolhe um tempo-limite de quanto acha que vai viver e, se passar esse tempo, o site envia para seus contatos a notícia que você morreu. radical, sim, but this is your life, and it’s ending one minute at a time.

ps: e o homem que ia morrer, ganhou um coração de um homem que se matou, casou com a mulher do homem que se matou e acabou se matando? horror.

momento capricho: dois testinhos divertidos pras horas vagas, mais úteis do que podem parecer.

* que massas italianas você consegue identificar? acertei 15 de 24. preciso ir mais no nello’s.

* adivinhe os sorrisos falsos. eu fui muuuuito bem. não aconselho ninguém a mandar um colgate pra cima de moi.

depois da moda bigode, uma fonte feita de barba. (!)

fifi, uma coelhinha sempre na moda.

fifi1.jpg

fifi2.jpg

cabide-head2

twitter

  • vim hoje pro rio e todo mundo que tava vindo pro rock in rio fazia questão de estampar isso com adereços tipo mochila de guitarrinhas 🙄 7 hours ago
  • rock in rio: é muita gente cafona se achando moderna nesse mundo 7 hours ago
  • @hiutwig mas tá super amiga! 17 hours ago
  • não só nenhuma atração do RIR pediu bebida alcoolica como tem festival de "rock" distribuindo kefir, a que ponto chegamos 18 hours ago
  • nesse momento eu poderia enfiar um rojão no cu da @Avianca 😡😡😡😡😡 19 hours ago

last.fm

flitis's Profile Page